Preso trio por participação no assassinato de "Chico de Olegário"

25-12-2010 23:57

Paralelo a crescente onda de violência urbana que assola o interior Potiguar existe o trabalho da polícia civil que busca elucidar os crimes contra a vida que ocorrem no âmbito de suas atribuições.

Com isso, mais um caso de homicídio na região do Vale do Açu foi solucionado pelo andamento das investigações policiais. Um trio foi preso na tarde de ontem (23) por participação no assassinato de "Chico de Olegário" em Assu durante a tentativa de roubo da caminhonete do comerciante, no dia 18 de agosto deste ano. Ele mantinha uma rede de bancas de jogo do bicho naquela região.

Uma operação conjunta da Polícia Federal e da Deicor da Polícia Civil desarticulou uma quadrilha de assaltantes e de pistolagem com ramificações em Assu. Além do trio, os policiais prenderam várias pessoas em Natal, acusados de envolvimento com a morte do comerciante. Durante vários meses, o setor de inteligência da PF e da Civil monitoraram o bando.

Francisco Canindé Souza, Sebastião Garcia Gomes (Bastião do Cross) e Sandro Felipe de Souza foram detidos acusados de dar apoio logístico aos dois executores da morte do comerciante Francisco Minervino, de 75 anos. Bastião do Cross é apontado com um dos líderes da perigosa quadrilha e vinha agindo constantemente na região. Já os dois autores dos disparos, Damião Marques da Silva e Danilo Brito da Silva, estão presos desde o dia 30 de Setembro. Acusados também integrariam bando de assalto a bancos.

A prisão do trio aconteceu nesta quinta-feira, em Assu, por policiais da Divisão Especial de Combate ao Crime Organizado (Deicor) e da Divisão de Polícia Civil do Oeste (Divipoe), sob o comando do delegado Márcio Delgado. Os três são acusados de dar apoio logístico aos assassinos. Os dois executores foram presos no dia 30 de Setembro numa operação conjunta entre a Polícia Civil e a Polícia Federal. No dia 30 de Setembro, a polícia prendeu Damião Marques da Silva e Danilo Brito da Silva, ambos acusados de matar o comerciante e de envolvimento numa quadrilha de assaltantes.

Danilo Brito era fugitivo da Penitenciária de Alcaçuz, em Nísia Floresta. Com a prisão dos executores, a polícia passou a focar a investigação nos outros integrantes do banco que ajudaram no crime. Hoje, ao confirmar o paradeiro dos três acusados, a polícia montou uma operação para prendê-los. Foram presos por força de mandado de prisão Francisco Canindé, Sebastião Soares e Sandro Felipe.

Segundo a polícia, Francisco, Sebastião e Sandro deram suporte para Damião e Danilo roubarem o carro da vítima. "Na verdade, eles queriam a caminhonete da vítima. Houve reação e o comerciante acabou morto", disse o delegado Márcio Delgado. A picape de Chico de Olegário, uma S-10 cabine dupla, estava sendo visada para ser usada num assalto a Correios. Segundo Márcio Delgado, a vítima foi abordada no momento em que saía de casa, por volta das 9 horas, na cidade de Assu. Ele foi vítima de dois disparos de arma de fogo no abdômen e como estava armado com um revólver calibre 38 ainda chegou a atirar contra os criminosos.

De acordo com as investigações, o grupo assaltava bancos e agências bancárias. Diante disso, o delegado Márcio Delgado foi designado para apurar o caso em portaria assinada pelo delegado Geral da Polícia Civil, Elias Nobre, em 24 de Agosto. Como a suspeita do assassinato recaía sobre o crime organizado, o delegado geral e o secretário da Segurança Pública e da Defesa Social, desembargador Cristóvam Praxedes, resolveram disponibilizar a Deicor para o caso. O grupo integrado pelos cinco acusados foi desmantelado em ações das forças policiais ao longo deste ano. As investigações continuam com o intuito de identificar e prender outros integrantes da quadrilha.

 

https://cid-1d002b0011e9dbc5.office.live.com/self.aspx/.Documents

Politica Brasil e no Mundo

 

America do Sul America